Acessibilidade: A+ / A-

Nossa História

A União de Cegos D. Pedro II - UNICEP, é uma organização da sociedade civil, sem fins econômicos, com sede em Vila Velha-ES, fundada em 01 de dezembro de 1979, por um grupo de pessoas cegas para desenvolver atendimentos de habilitação e reabilitação, assim como ações de profissionalização, educação especial, saúde, esporte, promoção e inclusão social de pessoas cegas.

Em sua primeira década de existência a diretoria preocupou-se em implantar sua sede e aumentar o cadastro de pessoas cegas do município de Vila Velha e todo o Estado do Espírito Santo.

Neste período ainda foram implantados alguns serviços pioneiros no município em benefício deste segmento, como a primeira sala de recurso de Educação Especial, atividades esportivas, inclusive desenvolvendo a primeira bola adaptada para FUTSAL e atendimento de Assistência Social.

Em parceria com órgãos do Governo Estadual foram ministrados cursos de qualificação para professores de Educação Especial na área de deficiência visual, aumentando o número de professores em atendimento a alunos cegos em todo o estado. Outras parcerias foram desenvolvidas beneficiando pessoas cegas com acesso ao mercado de trabalho.

Nos anos seguintes os dirigentes da UNICEP tiveram participação importante na política nacional participando de fundações de organizações nacionais de cegos na área esportiva e de defesa e direitos.

A partir de 1990, a UNICEP ampliou suas instalações criando serviços de reabilitação profissional com ações produtivas e cursos profissionalizantes. Estes programas foram desenvolvidos em parcerias com órgãos públicos e empresas privadas, beneficiando pessoas cegas de todas as regiões do Espírito Santo.

Curiosidade

Você sabia que a bola de futsal de cegos foi concebida aqui na UNICEP?

Em 1981 a equipe de Futsal da UNICEP participou de um campeonato no Sul do Brasil, onde sentiram algumas dificuldades com a localização da bola, pois, o som ineficiente era emitido por meio de tampinhas de garrafa penduradas por fora da bola que acabava causando alguma lesão nos atletas.

Ao fim do campeonato o Sr. Luiz e Josi idealizaram um modelo de bola que pudesse dinamizar o esporte e, após várias tentativas para melhorar o som, com pequenas bolas de metal e forma de empada com esferas dentro, no interior da bola, tiveram a brilhante ideia de colocar guizos internos na bola, entre a câmara de ar e o couro, ideia que deu certo e hoje é a bola oficial do Futebol de 5, utilizada em todo o mundo.

Futebol de 5: Futebol de Salão adaptado para atletas cegos. O atleta se locomove guiado por sons emitidos por meio de guizos introduzidos na bola.